segunda-feira, 16 de novembro de 2009

CHINESES VÍTIMAS DE CRIMES EM ANGOLA

Segundo reportagem da Agência France Presse e da BBC, publicadas pelo sítio Angonotícias, a comunidade chinesa em Luanda tem sido vítima de frequentes assaltos.

Trabalhadores e empresas.

Em especial nas regiões periféricas de Benfica e Viana.

De acordo com a reportagem, as autoridades policiais angolanas "desvalorizam" a situação com o argumento de que a "insegurança" ainda prevalece em Angola.

A reportagem informa que trabalhadores têm sido assaltados depois de receberem os salários.

Houve casos de criminosos que, insatisfeitos com a quantia obtida, jogaram água quente nas vítimas.

Empresas de construção civil também têm sido assaltadas. Tanto escritórios como os alojamentos dos trabalhadores.

Ainda segundo a reportagem, um trabalhador e um empresário chineses foram assassinados nas últimas semanas.

De acordo com os relatos das vítimas, os criminosos usam fuzis de assalto russos AK-47.

Os AK -47 são as armas mais comuns de se ver em Luanda.

São usadas pela polícia, por seguranças de banco e até pelos vigias de ruas, aqueles que passam o dia dormindo em cadeiras de plástico brancas em frente às residências.

São os Senhores Proteção.

Já escrevi sobre eles.

Para conhecer ou relembrar, clique aqui, aqui, aqui e aqui.

A embaixada da China em Luanda já teria emitido comunicado para que os chineses não saiam de casa sozinhos e evitem sair à noite.

É a indústria do medo em Luanda.

Ninguém sabe ao certo quantos chineses vivem em Angola.

Os números variam entre 40 mil e 100 mil.

A presença dos chineses na África tem sido cada vez maior.

Em praticamente todos os países há trabalhadores chineses e isso tem sido foco de tensão.

Os chineses são acusados de tirar o emprego dos trabalhadores nacionais, pois atuam ocupam os cargos mais baixos, sem muita qualificação, em países de baixíssima escolaridade e em que a construção civil parece ser, por enquanto, a única forma de criar empregos em grande quantidade.

Para ler a reportagem completo no sítio da Angonotícias, clique aqui.

E depois veja os comentários dos leitores.

O curioso, como poderão observar, é que qualquer discussão em Angola sempre acaba distorcida com comentários preconceituosos e descamba para temas raciais muitas vezes sem qualquer fundamento.

5 comentários:

Anônimo disse...

Angola, desigualdade = barril de pólvora.

Manoel Amaral disse...

Amigo,

Gostaria de criar um blog de contos e crônicas, aí na África.
O que devo fazer?


Manoel

Helga disse...

Esses comentários dos angolanos são coisas que estão atravessadas na garganta e eles soltam sempre que tem a possibilidade de dar essa voz.

Tão certos, só precisam se organizar mais, trabalhar mais. Fazer melhores acordos com as empresas (pra melhorias da região, investimentos aplicados para a população, aproximação das culturas chinesa e angolana).

Tá faltando pouco diálogo nessa história.

Helga disse...

Ou melhor: está faltando "um pouco mais de diálogo" nessa história.

Anônimo disse...

às vezes acho que Angola importa discursos europeus, o que é uma tragédia para o país