sábado, 29 de janeiro de 2011

ALGUNS LIVROS SOBRE A ÁFRICA


Dicas recebidas de um amigo.



“We wish to inform you that tomorrow we will be killed with our families”, de Phillip Gourevitch: o melhor relato do genocídio, apesar de o autor ser um pouco condescendente demais para o meu gosto com Paul Kagame, o general tutsi e atual presidente, cujo exército de rebeldes parou a mortandade

“Shake Hands with the Devil”, de Romeo Dallaire: memórias do general canadense que chefiava a missão da ONU


“The State of Africa”, de Martin Meredith: dividindo os capítulos por países, dá um panorama muito bom dos primeiros 50 anos da independência africana (1957-2007).

“The Shackled Continent”, de Robert Guest: é uma leitura liberal dos problemas africanos. Afinal, o autor foi o correspondente da revista “The Economist” na África por muito tempo. Tem excelentes histórias. O capítulo em que ele acompanha o trajeto de um caminhão de entrega de bebidas pelo interior de Camarões é imperdível.

“Untapped: The Scramble for African Oil”, de John Ghazvinian: é sobre o petróleo na África, que alguns acham ser a grande maldição do continente. O autor visitou vários países produtores e conta suas experiências, em ritmo de diário de viagem, de forma didática e divertida.

“Thabo Mbeki, the Dream Deferred”, de Mark Gevisser: biografia do presidente sul-africano, um catatau de 800 páginas que mostra a trajetória de um dos grandes líderes anti-apartheid, que infelizmente manchou sua reputação com as bobagens que falou sobre a Aids. Esse livro foi lançado na África do Sul e ainda não entrou no catálogo da Amazon (espera-se que isso ocorra em breve).

“Long Walk to Freedom”, de Nelson Mandela: o já clássico relato autobiográfico do ícone (este deve ter em português).

“Dinner with Mugabe”, de Heidi Holland: recém-lançado na África do Sul, mostra as entrevistas da autora, uma jornalista sul-africana, com pessoas da intimidade do ditador do Zimbábue (como seu irmão, seu padre etc.). O estilo é às vezes meio piegas, as enveredadas dela pela psicologia chegam a ser meio constrangedoras, mas 90% do que está ali é precioso. Entra na Amazon somente em dezembro, infelizmente... Mas vale a pena esperar.

“In the Footsteps of Mr. Kurz”, de Michela Wrong: excelente relato da ascensão e queda de Mobutu Sese Seko, no ex-Zaire (hoje Congo).

“Chief of Station, Congo”, de Larry Devlin: na mitologia da Guerra Fria, sempre havia um sujeito malvado como Evlin _o superagente da CIA que acobertava tiranos de Terceiro Mundo. No caso, Devlin foi a mão da CIA na ascensão de Mobutu, nos anos 60. O mais incrível é que ele conta essa história (ok, não deve ser toda a história, mas é um livraço).

“I didn’t do it for you”, de Michela Wrong: esse é sobre...a Eritréia! Incrível, mas ela conseguiu transformar a história de um país periférico e pouco interessante numa bela narrativa.

“Emma’s War”, de Deborah Scroggins: esse estou lendo agora, sobre uma inglesa pertencente a uma ONG que se casa com um senhor da guerra no Sudão.

E, last but not least, há toda a obra do papa do jornalismo sobre a África, Ryszard Kapuscinski, da qual destaco três livros: “Ebano”, uma coleção de relatos sobre o continente; o superclássico “The Emperor”, sobre a corte do imperador Haile Selassie na Etiópia; e o meu preferido dele, “Another Day of Life”, um livrinho de 120 páginas que fala do início da guerra civil em Angola.

Nenhum comentário: